quarta-feira, 30 de maio de 2012

"EU NÃO SEI DANÇAR..."

Não é raro uma gestante ou mãe me procurar com vontade de participar das aulas, mas depois dizer... "sabe o que é? eu não sei dançar..." 
No meu pensamento, uma grande interrogação e fico especulando quais experiências que essa pessoa teve para dizer isto... Imagino que vieram da infância, alguém dizendo: "você não tem coordenação, não tem ritmo"... ou ainda pior: "você não tem vergonha de dançar deste jeito, está ridículo!" Outras vezes pode vir de uma vergonha do próprio corpo ou uma auto-exigência muito grande. Tudo isso passa a ser um grande fantasma! 
O movimento é parte da nossa vida desde antes do nascimento, no começo é involuntário e depois vai ganhando vontades, formas, qualidades... o simples fato de "ouvir" seu movimento e mudar suas qualidades e intenções já pode se tornar uma dança. 
Faça o teste, olhe para a sua mão e comece a movimentá-la , procurando sentir cada articulação dos dedos e também o punho. Depois, experimente outras formas de movimenta-la, mais rápido, mais lentamente, um dedo de cada vez ou todos de uma vez... Pronto, a dança já começou aí!
Obviamente não estou falando de danças codificadas, com passos, movimentos e, principalmente, uma estética pré-estabelecida do que é certo ou errado, bonito ou feio. Estou falando da dança que cada um tem dentro de si e que pode ser despertada na medida que temos consciência do nosso corpo e "escutamos" o que ele tem pra nos dizer. 
Estou falando da dança que qualquer um pode fazer, a partir de seu próprio repertório de movimento e da história do seu próprio corpo. A dança que dispensa o espelho, para não haver julgamentos, e na qual o limite de cada corpo é respeitado. O corpo integral, que não divide corpo-mente, corpo-sentimentos e sim SOMA... Somando, cada vez que se movimenta, que dança, este corpo se transforma e transforma as sensações, os pensamentos, as ações... 
O movimento vai ficando leve, harmonioso e singular, esteticamente lindo! Mesmo quando pode parecer estranho imaginar uma "barriguda e pesada", como muitas vezes se denominam as gestantes, rodopiando pelo salão!
É ESTA a dança que eu partilho nas aulas e que pratico com muita paixão!
Vamos dançar?